Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

smobile

conceitos sob o ponto de vista do observador

smobile

conceitos sob o ponto de vista do observador

Wall and Piece

Há intervencionistas cuja obra eu aprecio bastante e há intervencionistas de cuja obra eu realmente adoro.
Na primeira situação estão os "nossos" MinimalAnimal e Skran, já na segunda está o internacionalmente reconhecido Banksy.
Ambos utilizam maioritariamente o stencil e a pintura mural.

 

Pode dizer-se que Bansky está na moda. Existe uma palpável razão para tal ao consultar o catálogo "Bansky - Wall and Piece", Century edition, 2006.

Ao abrir a pagina do copyright, algo prova não estarmos perante um livro com um conteúdo tradicional o que nos obriga a sorrir perante tal ousadia:

"Copyright is for losers".

Por ser um tema "delicado", os editores jogam pelo seguro:

"Note from the publisher: This book contains the creative/ artistic element of graffiti art

and is not meant to encourage or induce graffiti where it is illegal or inappropriate."

 

 

 

Nesta recolha fotográfica vemos as mais variadas intervenções muitas confundindo-se com arte moderna, contemporânea, antiga... ou mera brincadeira.
Nada está a salvo na (e da) sua mente: as suas intervenções em Museus de renome despertam gargalhadas, ódios, seguidores e protecção das próprias instituições alvo.
E é hilariante ver quanto tempo durou a sua "brincadeira" até as entidades darem por ela e claro, de imediato a iliminarem/ retirarem.
Mas a ideia é mesmo essa.

 

 

É também intervencionista social: questiona até que ponto é legítima a vigilância permanente na cidade londrina ou até que ponto é (i)legítima a posição de Israel.
 

Apresenta um enorme sentido de humor quando o seu trabalho é intelectualizado por outros.

"I'd been painting rats for three years before someone said "that's clever it's an anagram of art" and I had to pretend I'd know all along".

A meu ver, Bansky neste momento personifica todo o ideal por detrás do que consiste um graffiter (ou alguém do género): uma utópica mente que pretende mudar o mundo - mesmo que esse mundo seja tão somente o seu bairro.
Acredito ser este imaginário que atrai tanta gente levando-a iniciar-se nesta Arte urbana e/ou a defende-la.

 

Temo no entanto que a realidade seja bem diferente no que respeita a estes "espíritos livres".
One of a kind.

 


"The time of getting fame for your name on its own is over. (...) Fame is a by-product of doing something else.
You don't go to a restaurant and order a meal because you want to have a shit
."

"Bansky - Wall and Piece", Century edition, 2006.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.