Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

smobile

conceitos sob o ponto de vista do observador

smobile

conceitos sob o ponto de vista do observador

O Jardim de Inverno do Hospital de Sant'Ana

O Hospital de Sant'Ana, classificado como Monumento de Interesse Público foi outrora um sanatório. A sua construção iniciou-se a 7 de Agosto de 1901, e ainda que o primeiro bloco tenha sido inaugurado a 31 de Julho de 1904, as obras foram concluídas em 1912.  Edificado na Parede, este antigo sanatório marítimo expande-se privilegiadamente ao longo da costa.

Sem a possibilidade para uma visita aprofundada, de momento, fica o belo Jardim de Inverno, uma ala virada ao mar, dividido em três grandes salões. Decorado com azulejos em estilo Arte Nova, sob o tema de plantas medicinais, estes painéis são de autoria de Jorge Pinto e da Fábrica Sabido.


Link para o slideshow.

Percorrendo os corredores ornamentados com bandas e/ ou cilhares de motivos florais, espreitava entre frestas de portas entreabertas ou esticava-me tentando alcançar o topo de paredes envidraçadas. Vislumbrando os terrenos envolventes, esta construção poderia inserir-se nos "sanatórios para ricos" segundo esta descrição:


“as plantas de dois annexos indispensaveis: um para os diversos recreios e outro para o pessoal da administração, direcção, escritorios, etc., tudo distribuído por uma vasta superfície, onde possam estabelecer-se plantações de pinhaes, jardins espaçosos, Jogares para a cura de ar, etc. De todas estas disposições será opportunamente levantada a competente planta topographica. As edificações destinadas aos doentes constam de tres corpos separados communicando entre si por galerias, passagens cobertas e escadas, e por tal modo angularmente dispostas que os doentes possam todos gozar da exposição-sul e do mesmo panorama, havendo tambem terraços cobrindo os edificios para as curas de ar e luz, e elevadores para os differentes andares e terraços. O edifício central tem rés-do-chão e quatro andares, sendo em todos estes a parte voltada ao sul para quartos de cama, os quaes são sufficientemente espaçosos e o lado sul envidraçado para formar, juntamente com a varanda, uma divisão onde os doentes possam apanhar luz e sol. Na fachada norte haverá ventiladores para arejamento dos quartos e corredores "

Descrição da concessionária para edificar o Sanatório dos Marmeleiros (início da construção em 1905) - Madeira.


Referências:

- Igespar.
- Ismael VIEIRA, “Combater a tuberculose à beira mar – talassoterapia e sanatórios marítimos entre os séculos XIX e XX” .
- José Carlos Avelãs NUNES, "O(s) berço(s) da arquitectura branca em Portugal. O surgimento dos primeiros Sanatórios de Tuberculose."

Fazer o Diabo a quatro

"Provém da época medieval francesa e do termo "faire le diable à quatre", onde em espectáculos teatrais entravam em cena o Diabo Lúcifer e tr|es diabos, seus ajudantes, provocando enorme algazarra e confusão.

lido num pacote de açúcar, Chave D'Ouro - Expressões Populares 27/30.

Acto II, Cena 2

"ESTÊVÃO

Se és o Trínculo, sai daí. Vou puxar pelas pernas mais curtas - se forem as pernas do Trínculo, são estas. (Tira-o de baixo do capote). És o Trínculo, sim! Como podes tu ser caca deste monstro? Ele caga Trínculos?"

in SHAKESPEARE, William, A Tempestade, Lisboa, Edições Cotovia, 2009, p. 78.

Pág. 2/2