Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

smobile

conceitos sob o ponto de vista do observador

smobile

conceitos sob o ponto de vista do observador

Sente a Energia

 

No âmbito do Ano Europeu do Diálogo Intercultural, a CM Cascais no passado dia 09 apresentou o francês Bob Sinclair a uma imensa plateia que tomou de assalto a praia de Carcavelos.

 

A 1ª parte do concerto ficou a cargo de um DJ cujo nome é-me desconhecido. Ao fim de 1 hora, a assistência começou a demonstrar impaciência e por algumas vezes esmoreceu o seu animo, principalmente com a hora a passar sem a estrela de cartaz a aparecer.

 

À meia noite, entra em cena um dos actuais príncipes do House: Bob Sinclair.

A praia vai ao rubro.

 

Com um inicio promissor, adquiriu contornos que acabaram por não ir ao encontro das minhas expectativas, provavelmente, demasiado altas. Não sei se pelo meu cansaço, mas o constante corte de ritmo com o "Viva Portugal" pelo Big Ali ou Steve Edwards (não pude saber qual) começou verdadeiramente a irritar-me.

 

Apesar de ter-me sabido a pouco, o concerto foi bem simpático e é sempre agradável dar um passinho de dança ao som e na presença de Bob Sinclair.


Mesmo a 1 Km de distância, consegui confirmar que Bob Sinclair é mais giro e mais magro ao vivo.

Desconfio que terá olhado algumas vezes na minha direcção.

E que cheira bem - ou isso ou era o moço à minha frente...

 

 

link do video - 1ª parte

 

  

link do video - Bob Sinclair

 

 

A imagem nos filmes está aos saltinhos pois é impossivel ficar parada com aquele ritmo altamente contagiante.

 

 

Quanto ao ambiente...


Os concertos grátis permitem que as pessoas vejam um artista de forma económica ou que simplesmente fiquem a conhecer o seu trabalho.
A coisa complica-se quando vão por todos os motivos menos pelo espectáculo.

 

Comecei a desconfiar quando no comboio somente ouvia risinhos e conversas histéricas de quem passaria sem problema por minhas irmãs mais velhas apesar da sua tenra idade - tal era a sua "produção".
Não foi então de estranhar que no meia da maralha começasse a ver e a ouvir:

- chavalos homos a beijocarem-se e a simular sexo;

- lésbicas também novíssimas ("fufas de merda" segundo ouvi) a rebolarem pela areia e a levarem tudo com elas;

- casais heteros já bem "regados";

- alguma erva a ser fumada;

- engate explicito de ambas as partes.
 

E muito, muito predador.

 

Resumindo: à excepção de pequenos núcleos onde a boa onda reinava, fazendo questão de partilhar a sua alegria, o ambiente era pesado e por vezes tenso.

Até os de aspecto mais manfio se fartavam do espectáculo paralelo.