Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

smobile

conceitos sob o ponto de vista do observador

smobile

conceitos sob o ponto de vista do observador

Monte da Lua - Parque da Pena

O Monte da Lua (Promontorium Lunae), desde a Antiguidade Clássica esteve ligada a cultos astrais. Esta presença é ainda hoje sentida pela herança arqueológica que remonta ao Neolítico.

No Monte da Lua, junto ao Castelo dos Mouros (1ª construção datada do século VIII), situa-se o Parque da Pena de estilo Romântico.


Seguindo os gostos da época - século XIX - foi criado um jardim exótico, livre das linhas rígidas características do clássico, procurando imitar a Natureza.











Entre lagos e densa vegetação, surgem construções neo-mouriscas e outras edificações de ornamentação rebuscada.
Pequenos castelos no meio de espelhos de água lembram, segundo alguns visitantes, o tão em voga Castelo de Almorol.

Espécies octogones misturam-se com espécies exóticas provenientes de locais tão longínquos tais como a América ou o Japão.


Um local belo, de lazer, onde nos podemos fácilmente perder e entrar num outro mundo, num mundo Fantástico e Mágico.








Informação adicional:
- site: http://www.parquesdesintra.pt/
preço: 4,50 - desconto somente aos Domingos de manhã para residentes do concelho de Sintra

Um aparte:
Mais uma vez, confirma-se a máxima de que a cultura é só para alguns.
Considero um escândalo que o preço praticado seja tão elevado para os nacionais, principalmente com tanto turista estrangeiro com um poder de compra bem diferente da nossa realidade.



Chalet da Condessa d'Edla - Sintra

Alagamares, é uma associação que sob o lema "Conhecer para Melhor Defender", fomenta visitas ao património na área de Sintra.
No passado dia 2 de Março, realizou-se uma destas.







No Parque Monte da Lua - Pena, em Sintra, envolto num manto verde, encontra-se o Chalet da Condessa d'Edla.
Ou melhor, o que resta dele, dado que depois de votado ao abandono ao longo de décadas foi finalmente destruído por um incêndio em 1999.

Mas mais que as paredes que subsistem deste imóvel, pessoalmente, é a beleza envolvente de todo o parque que considero digno de visitar.

Como num bosque, podemos percorrer trilhos e sermos surpreendidos por melros que se escondem em gigantes fetos, cursos de água que murmuram por todo o lado, bancos de pedra que aguardam pacientemente quem se sente e descanse no seu manto de musgo.














Alguma informação sobre o chalet datado e 1867, outrora magnifico com os seus interiores ricamente ornamentados, pela associação:


"O chalet da Condessa d'Edla foi construído no século XIX (...). Terá certamente pesado nesta escolha o facto do local estar abrigado dos ventos de Sul e de a vista se poder estender até ao mar que dali se avistava quando a arborização era, ainda, recente e diminuta."

(nota: agora parece um chalet de montanha sob um tecto verde - árvores de enorme porte - num local com uma humidade de 300% aliada a um frio que se cola nós, e que nem os rasgos de luz que as copas não filtraram, nos consegue aquecer)




"Perfeitamente inserido na paisagem, supõe-se que o chalet terá sido construído sob a orientação directa da própria Condessa e de D. Fernando (as armas de Saxe-Coburgo-Gotha estavam inscritas no seu interior), tendo-se inspirado, talvez, nas casas de campo americanas ou suíças. Construído em alvenaria, com planta rigorosamente simétrica, cruciforme no primeiro piso, as paredes exteriores apresentavam uma pintura que sugeria tábuas de madeira sobrepostas.

Talvez por influência do Convento dos Capuchos, que lhe está próximo, as duas fachadas posterior e anterior eram ornamentadas, inicialmente, por troncos de cortiça, assim como os arcos gotizantes de todas as portas, janelas e em tempos, também a balaustrada da varanda que circundava todo o primeiro piso e o mesmo se verificava em alguns ornamentos nos beiras do telhado (...)."


Tekkon Kinkreet

O dinheiro de papel é maior do que o dinheiro de metal.
O nove vem depois do oito.

Black, quando o céu fica negro, por que me sinto tão triste?
 

Visualmente estimulante, este animé debruça-se sobre a vida de dois que procuram sobreviver numa realidade no limiar da lei.


A Luz e a Noite.

Sob um pressuposto de um choque de cultura em que estrangeiros pretendem transformar uma cidade num parque de diversão, com alguns jogos de poder com os Yakuza locais, são abordadas as emoções e laços familiares de dois irmãos de sensibilidade oposta.








Como o cliché Ying e Yang, Black contem dentro de si uma pressão temperamental tenebrosa somente controlada pelo seu irmão, que insiste em viver no seu mundo imaginário - na realidade, é ele o pilar de Black.

Com cenário irrepreensível com detalhes de levar ao êxtase qualquer apreciador de miniaturas, todo o animé desenrola-se em ruas estreitas e apinhadas de pessoas, carros, etc.


(10/10)
>> Maria

Info:
Título: Tekkon Kinkreet
De: Taiyo Matsumoto
Ano: 2006

Pág. 3/3