Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

smobile

conceitos sob o ponto de vista do observador

smobile

conceitos sob o ponto de vista do observador

Tachibana Taiko Hibikiza

No dia passado dia 17, realizou-se na Gulbenkian (Lisboa) uma apresentação de Taiko.
Uma iniciativa conjunta da Embaixada Japonesa, da Associação Amizade Portugal-Japão, da Fundação Japonesa de Taiko e da Fundação Calouste Gulbenkien.

O grupo Tachibana Taiko Hibikiza, oriundo da província de Miyazaki (ilha de Kyushu), é um dos muitos pertencente à Fundação Japonesa de Taiko (Nippon Taiko Foundation) e dos principais conjuntos de taiko no Japão.

A Fundação Taiko, tem como mote recuperar a tradição musical japonesa nesta area. Os tambores é uma arte musical que tem verificado cada vez mais grande aceitação tanto pelas camadas mais jovens como pelos seniores: entre os seus 22 mil associados, o membro "oficial" mais jovem tem 5 anos e o sénior, recentemente galardoado com um prémio, tem já 93 anos.

Uma arte tradicionalmente masculina, tem curiosamente como directora uma mulher, Takahiro Kiuchi, presente nesta apresentação na Gulbenkian.




O som de percussão é já sobejamente conhecido, assim como o pulsar tradicional dos tambores.
Mas o ponto alto é sempre a entrada do grande Nagadô Taiko.
Primeiramente tocado por dois jovens, foi com a entrada o orientador do grupo, o sr. Kunimitsu Iwakiri que se sentiu a verdadeira força deste instrumento musical.

A cada compasso, como a batida forte de coração, a onda de choque percorria todo o auditório.
O chão tremia e a assistência, no seu silêncio solene e pesado, sem conseguirem despregar os olhos da figura de branco, antecipavam sem fôlego o próximo pulsar.

Enquanto o sr. Iwaki tocou, vi-me obrigada a tapar os ouvidos e a serrar os dentes: a vibração era tal e antecipando o que viria, larguei a máquina. Atitude acertada.
Somente esperava que o meu acento não se desconjuntasse, nem que as minhas entranhas se liquefizessem.

Mesmo sem a magnitude do grupo Kôdo, o grupo Tachibana Taiko Hibikiza com o seu entusiasmo, simpatia e qualidade conquistou o público.
As obras apresentadas pelos Tachibana são da autoria do grupo e composição de Iwakiri Kunimitsu.


Como curiosidade, actualmente o maior taiko tem 2,67 metros de diâmetro, construído em 1996.

(9/10)
>>Maria