Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

smobile

conceitos sob o ponto de vista do observador

smobile

conceitos sob o ponto de vista do observador

Fui Tom Hanks, numa ilha urbana

"Agora que temos dois novos submarinos que nos custaram milhões de euros em saco roto,

há que aproveitar, e pô-los rapidamente em missões de salvamento pelas ruas de Lisboa e nas estações de metro que ficaram alagadas, lol"

comentário em "Mau tempo em Lisboa".

 

 

Andar em Lisboa em dia de chuva é uma aventura.

Esqueça o freestyle nas águas do Douro. Se quer adrenalina, desça até à Baixa da capital.


Aos interessados, deixo algumas dicas de como navegar na capital, em dia de semidilúvio, mesmo que não tenha trazido de casa o seu chapéu-de-chuva predilecto.

1.      Comprar de imediato um chapéu-de-chuva numa loja indiana vão de escada. Ser simpática e regatear o preço: poupei um euro. Conferir à porta, se o mencionado objecto funciona.


2.      Evitar andar no passeio da direita (sentido dos carros) – por ser o mais utilizado pelos veículos pesados, o piso encontra-se mais degradado.  Depois, existe sempre um engrumo que gosta de fazer rali sobre as poças, encharcando tudo e de todos em redor.


3.      Evitar andar nos passeios que tenham paragens de autocarros – o tráfego fica de tal modo entupido, que o melhor é mudar passeio, mesmo que o obrigue a saltitar de um lado para o outro.

 

4.      Não fazer fé nos passadiços de obras que se lhe apresentem, pois facilmente encontram-se partidos e são uma ratoeira mortal.


5.      É impreterivelmente requerido que olhe para o chão enquanto caminha – as crateras que anteriormente fariam qualquer um torcer um pé, encontram-se a transbordar de água, criando a ilusão de que são menos fundas do que na realidade.

 

6.      Manter o chapéu-de-chuva ao nível dos olhos, para que sejam os outros a levantar o seu: isto evitará que nos vazem um olho ou nos espetem a bochecha. Não se preocupe se do outro lado também reagirem do mesmo modo e chocar: segure a sua posição como se a sua vida dependesse disso – é sempre preferível uma troca de galhardetes do que terminar num hospital, estropiado.

 

7.      Memorize locais altos: Rua dos Fanqueiros ou Rua dos Sapateiros, são boas opções em caso de pânico.

 

8.      Corra. Corra assim que sentir uma carga de água. Tente alcançar um dos pontos acima mencionados. Em alternativa, a escadaria da Igreja de São Nicolau ou locais similares.

 

9.      Lembre-se: uma fotografia para ter os seus 5 segundos de fama quer na net quer na tv, não valem os seus sapatos ensopados, um abalroamento meu e jamais a sua vida. Resguarde-se.

 

 


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.