Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

smobile

conceitos sob o ponto de vista do observador

smobile

conceitos sob o ponto de vista do observador

"Por que caminho queres passar, pelo das Pedrinhas ou pelo dos Alfinetes?"

"Note-se ainda que a iniciativa do convite para a cama parte da heroína, o que confirma vários outros textos na sugestão de que ela não é totalmente inocente."

in SILVA, Francisco Vaz da, "Capuchinho Vermelho, Ontem e Hoje", s.l., Círculo de Leitores, 2011, p. 107


Mais do que uma colectânea de versões sobre o conto d'O Capuchinho Vermelho (O Capucho Vermeho/ O Conto da Avó/ A Menina e o Lobo/ A Ogra/ Tio Lobo, entre outros), Francisco Vaz da Silva, oferece-nos as pistas há muito recolhidas, sobre o surgimento e consequente evolução, desde o longínquo século XVI ao XX. Algumas pontes entre os países europeus (Sul, Centro e Leste) e duas referências ao oriente (Tia-Avó Tigre/ Florbela e o Urso).

Os contos são passados entre a população como uma lição de vida dos mais velhos transmitida às meninas pastoras (dos 7 aos 12 anos) que calcorreavam os montes de outrora. Esta lição, de essência tenebrosa, em algumas tradições eram de essência pejada de detalhes que nos nossos dias seriam considerados escandalosamente macabros para a faixa etária a que se destinavam.

O enfoque do tema em Portugal é muito engraçado, demonstrando os brandos costumes a nós atribuídos (vide caso em "Dicionário Infernal", Collin de PLANCY).

 


Esta antologia de F.Silva, reúne também a "Companhia dos Lobos" de Angela Carter, dois contos de Roald Dahl(!!) e um hilariante conto satírico de James Finn Garner (vide "Contos de Fadas Politicamente Correctos" para as variantes mais estrambólicas).

"Capuchinho Vermelho disse: "Acho a sua observação sexista extremamente ofensiva, mas vou ignorá-la devido ao seu tradicional estatuto de excluído da sociedade, a pressão do qual o levou a desenvolver a sua própria - inteiramente válida - mundividência. Agora, se me der licença, tenho de continuar o meu caminho." idem, p. 142.

De notar a bibliografia que o autor refere no fim de cada capítulo, para os que se interessam por esta temática: a tradição oral e o folclore.