Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

smobile

conceitos sob o ponto de vista do observador

smobile

conceitos sob o ponto de vista do observador

canalização de transtorno psicológico para acções físicas

"- Mas alguma vez tiveste medo do pai?
- Sempre que os New England Patriots perdiam.
Quando os Patriots perdiam, o meu pai costumava ir para a garagem e ligar a motosserra. Há dois anos, no Outono, pegou na motosserra e foi para o monte atrás da nossa propriedade; abateu dez árvores e cortou-as em toros de lenha para o fogão. Ainda nos falta queimar mais de metade do monte."

 

FITZPATRICK, Becca, "Hus, hush", Porto, Porto Editora, 2010, p. 161

 

 

Há muito que se ouve que a agressividade passiva é a mais nefasta: por ser silenciosa, transforma quem padece de tal  numa bomba relógio andante.

Parece-me que muita gente que vomita ao vento "comportamento passivo-agressivo", o confunde com o individuo que deseja evitar um conflito (independentemente da razão), que re-direcciona o seu descontrolo irracional ou que, tomando consciência da perca de tempo e desgaste pessoal que tal terá, controla deste modo os danos colaterais.

O "comer e calar" nem sempre é ser agressivo-passivo. Por vezes significa um mero meio de não ir às trombas de quem o chateia. A isso chama-se maturidade, auto-controlo.

É uma forma de estar na Vida.

Não é ter sangue de barata, mas é o que nos separa das bestas.

No extremo, é o que nos separa das crianças. No fundo, só querem que não se atravessem no seu caminho.

 

De qualquer modo, não me parece de todo inteligente testar a paciência destes para além do seu limite. De notar que o seu comportamento aparentemente indiferente poderá resvalar  (conscientemente) para algo pior: transtorno de personalidade passivo-agressiva.

 

 

  • Comportamento passivo-agressivo

 

"Os comportamentos de uma pessoa com uma personalidade passivo-agressiva (negativista) têm como objectivo encoberto controlar ou castigar os outros. (...)". "No entanto essa agressividade pode ou não ser expelida para o exterior, pelo que não existindo exteriorização da mesma, ela é contida, engolida, é direccionada para si próprio, tornando o indivíduo no passivo-agressivo, por contraposição ao agressivo-activo, que agride outros, canalizando a agressão para o exterior. O indivíduo passivo-agressivo também agride para o exterior mas de uma forma mais encoberta, não tão clara, quase deixando subentender que está ele a ser a vítima e não o agressor, note-se contudo que esta canalização da raiva é potencialmente mais danosa porque por um lado, o indivíduo desresponsabiliza-se da sua raiva, quer culpar outros pela mesma, e por outro lado, interioriza-a, perpetuando um movimento auto-destrutivo."

Peadpersonalidade

 

  • Transtorno de personalidade passivo-agressivo.

 

"A característica essencial é um padrão invasivo de atitudes negativistas e resistência passiva a exigências de desempenho adequado em situações sociais e ocupacionais, que começa no início da idade adulta e ocorre em uma variedade de contextos. Esses indivíduos habitualmente ressentem, opõem-se e resistem a exigências de que funcionem em um nível esperado pelos outros. A resistência é expressa por procrastinação, esquecimento, teimosia e ineficiência intencional, especialmente em resposta a tarefas designadas por figuras de autoridade. Esses indivíduos sentem-se trapaceados, desconsiderados e incompreendidos e são cronicamente queixosos. Eles podem ser mal-humorados, irritáveis, impacientes, propensos a discussões, cínicos, céticos e "do contra".

Wikipedia