Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

smobile

conceitos sob o ponto de vista do observador

smobile

conceitos sob o ponto de vista do observador

Art Déco

Art Déco, algumas ideias a reter:
 

- desenvolveu-se no 1º quartel do séc. XX;
- acentuado decorativismo, elementos estilizados e geométricos;
- as suas origens remontam ao movimento Arts and Crafs (século XIX) e no Modernismo de Aústria;
- a Art Déco, buscou a racionalização de espaço em movimentos de vanguarda tais como o Cubismo, o Futurismo e o Neoplasticismo
(ajuda para memória visual: Cubismo - Picasso, Futurismo - Boccioni, Neoplasticismo - Mondrian)

- nos ateliers os artesãos das várias áreas (desde os têxteis à cerâmica, da joalharia ao mobiliário) trabalhavam em parceria na produção de peças;
- a classe média tornou-a numa moda;
(desde a Exposição Universal de 1889 foi inserido e desenvolvido o conceito da vulgarização da peça de arte, coabitando o artístico com o industrial)
- "oficialmente" o término deste gosto deu-se com a Exposição Internacional de Artes decorativas e Industriais Modernas (1925), por saturação.

 

 

Algumas foram as vozes discordantes com esta crescente união industria/decorativismo/arte.

Entre eles os arquitectos Auguste Perret e Le Corbusier: enquanto que o primeiro defendia que a Arte Decorativa deveria ser suprimida, o segundo dizia não passar de uma ferramenta.

 

< o arquitecto Auguste Perret > (...) "Para começar, eu gostaria de saber quem é que juntou as duas palavras: "arte" e "decorativa". É uma monstruosidade: onde existe a verdadeira arte não e necessária a decoração."
(...) "Le Corbusier escreverá também" (...) "A grande arte vive de meios pobres. Os fulgores ficam bem na água".

@ folhetim informativo - Art Déco e seus inimigos, 24/06 - 20/09/2009, Museu Colecção Berardo.

 

Honestamente?
Só um gajo poderia dizer uma barbaridade daquelas. pft.

 

 

Até 20 de Setembro estarão no Piso 0 do Museu Colecção Berardo, a exposição Art Déco e seus inimigos.
 

Aqui poderão ser apreciadas algumas peças de mobiliário mais emblemáticas que foram organizadas de forma engraçada e que dividiria em 3 partes:


- a primeira com imensos exemplares de cadeiras Art Decó e alguns (outros) móveis, permitindo que fiquemos com a ideia geral do gosto: linhas mais lineares (em comparação com a Arte Nova) mas com muitos detalhes decorativos;
 

  

  

 

- a segunda, como que uma divisão, uns lindos exemplares de cerâmicas e vidros (qualquer um deles, ficaria um espanto na minha sala - excepção à mesa de vidro, que é um pouco espampanante), o que nos permite assimilar o que vem a seguir;
 

- a terceira, toda a modernidade reflectida no quase contra-movimento das vozes que se insurgiam: linhas austeras, destaque na utilização do metal.

 

 

 

Alguma info:
- AAVV, Um Século de Artes do Fogo (1890-1990) - Colecção Pádua Ramos, Lisboa, Electa, 1994;
- Folheto disponibilizado na Exposição

 

Local:

- Museu Berardo, CCB, Lisboa.

- Entrada gratuíta.